Gaucho Negro!

Gaucho Negro!
Força e Honra

sábado, 28 de setembro de 2013

Este episódio do bandido que morreu durante assalto em Gravataí demonstra o descaso da Justiça com o cidadão de bem, pois o bandido cumpria pena de prisão domiciliar por Roubo (assalto com violência ou grave ameaça). Como a Justiça toma suas decisões benevolentes, mas não as fiscaliza, o bandido saiu da sua "prisão" para assaltar. Os homens não fizeram bem a sua justiça, portanto fez-se a justiça divina.


ATAQUE FRUSTRADO
Bandido morre durante um assalto em Gravataí
Polícia suspeita de que disparo possa ter partido da arma do próprio criminoso

O que seria um roubo, terminou em trapalhada e tragédia para uma dupla de assaltantes ontem, em Gravataí. Douglas de Andrades, 22 anos, que cumpria prisão domiciliar por roubo, morreu atingido por um tiro na barriga.
A polícia ainda apura se ele, por acidente, atirou contra si próprio, com uma pistola .380 encontrada próxima ao corpo, ou se o disparo casual partiu da arma do comparsa, que conseguiu fugir.
Os dois homens, armados e a bordo de uma moto, atacaram um posto de combustíveis na ERS-118, bairro Bom Sucesso, pouco depois das 9h. Enquanto Douglas teria rendido os funcionários, seu comparsa já havia entrado no escritório do gerente e exigia que ele abrisse o cofre do estabelecimento. Nesse momento, com todos dentro da loja de conveniências, o assaltante, irritado porque o gerente não tinha a chave do cofre, teria acertado uma coronhada nele.
– Só ouvi um estouro. Mas todos estavam de cabeça baixa, não deu para ver de onde foi o tiro – conta uma funcionária.
Ferido na barriga, Douglas correu para a rua pedindo socorro, mas caiu ferido ali mesmo. Seu comparsa fugiu na moto levando mais de R$ 500.
– É possível que ele tenha disparado ao tentar guardar a pistola, mas ainda aguardamos a perícia para determinar se isso pode ter acontecido – afirma o delegado da 1ª Delegacia da Polícia de Gravataí, Anderson Spier.
Ontem, ele solicitou a captura das imagens das câmeras de monitoramento. O estabelecimento foi aberto no trecho recém-duplicado da ERS-118 há duas semanas.
– Não era um assalto muito comum. Havia um carro à espera deles, que ficou abandonado – explica o chefe de investigação, Jair Gonçalves.

Parentes de Douglas foram ao local do crime. Segundo eles, o rapaz teria saído de casa, em Cachoeirinha, alegando que iria procurar emprego.

Nenhum comentário:

Postar um comentário