Gaucho Negro!

Gaucho Negro!
Força e Honra

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Médico é suspeito de torturar e manter namorada em cárcere privado no RS



Um médico clínico geral foi preso na tarde dessa quinta-feira (25),em Porto Alegre, suspeito de manter a namorada em cárcere privado e torturá-la por mais de duas semanas. Cesar Duilio Gomes Bernardi, 53 anos, foi detido em casa, no bairro Glória, zona sul da capital. Na delegacia, ele negou as acusações. Conforme a polícia, a vítima apresenta sérios ferimentos pelo corpo.
Bernardi teria mantido trancada em sua casa a namorada, uma enfermeira de origem uruguaia, de 51 anos, entre os dias 2 e 19 de outubro. Segundo a titular da Delegacia Para a Mulher de Porto Alegre, delegada Nadine Anflor, a vítima relatou ser agredida com agulhas, cortador de unhas e relho (tipo de chicote). Os ferimentos, de acordo com os relatos, seriam tratados pelo próprio agressor, antes de uma nova sessão de tortura.
"Ela tinha marcas no rosto e no corpo. Estava completamente lesionada, praticamente não andava quando chegou à delegacia. Ao mesmo tempo que causava lesões gravíssimas à vítima, ele [o suspeito] tratava essa mulher para que ela continuasse aguentando as lesões", disse a delegada. A vitima está hospitalizada, e seu estado de saúde não foi informado.
A enfermeira procurou ajuda na noite do dia 19, depois de fugir da casa do médico. Ela teria esperado ele dormir e deixado o local com a ajuda da mãe de Bernardi. O casal estava junto desde o início deste ano, após ter se reencontrado depois de um namoro na adolescência.

Crack

Ainda de acordo com a polícia, Bernardi tem registro profissional, está apto a exercer a profissão e oferecia seus serviços em domicílio, após ver falir a clínica da família. Segundo relatos de parentes, ele seria viciado em crack. O clínico foi encaminhado ao Presídio Central, em Porto Alegre, e está à disposição da Justiça.
A Justiça solicitou a prisão preventiva de Bernardi por cárcere privado e tentativa de homicídio. Agora o inquérito policial será produzido e concluído, e deve ser oferecida denúncia. Enquanto isso, ele pode ganhar um habeas corpus.
Até o início da madrugada desta sexta-feira, a reportagem não havia conseguido contato com o defensor de Bernardi.

Fonte: UOL

Nenhum comentário:

Postar um comentário